sexta-feira, fevereiro 14

Sobre isso de a nova geração não ter infância

Eae pessoas gostosas :3
Suave?
Bom, eu tava vendo um post no meu facebook, dizendo o que vários outros já disseram. "Que a nova geração não teve e não tem infância."
Ok.
Inocencia en su forma más pura. Bom, eu sou da nova geração, a era digital como dizem. E sim, eu tive infância.
Eu brinquei na rua, brinquei de pega-pega, esconde-esconde, polícia e ladrão, ralei joelho, colecionei tazzo, brinde de salgadinho, deixei bola cair na casa dos outros, brinquei de pião, tentei com bolinha de gude, via um escorregador e só faltava chorar de alegria, brincava de "monstro", de pique-esconde, pega-pega corrente, escutava xuxa, jogava três marias, pulava amarelinha.
Fora muitas outras coisas que eu fazia.
Até hoje tem mulecada na frente da minha casa jogando bola, taco, correndo.
Eu vejo direto criança brincando na rua, e isso me deixa feliz.
Porque eu vejo que as pessoas que se orgulham de sua geração, estão erradas. E que elas falam isso porque não tinham o que nós, a "nova geração", temos.
Brincar na rua é uma coisa de sangue, quem não brinca tem vontade. Eu lembro que não podia ir pra rua sozinha, então eu via aquele monte de criança brincando pela frestinha do meu portão e tinha vontade de sair lá e brincar com eles.
Era tanta brincadeira, mas mesmo assim a gente brincava de tudo e ainda tinha que inventar pra não parar de brincar. Eu mesma inventei várias.
E mesmo que as crianças de hoje não brinquem tanto como antigamente, tudo é uma infância. Por mais vazia e monótona como muitas de hoje são, são infâncias.
Cada um tem a sua. Cada um faz a sua.
Então por favor, não falem que a nova geração não tem infância.


Nenhum comentário:

Postar um comentário